Postagem em destaque

Links para a obra do Rahmati

Nesse post você tem acesso a todas as minhas obras publicadas :) Os links para compra / leitura / download estão embaixo de cada imagem. ...

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Minha história em games — Jogos de 1985


O primeiro post dessa série foi temático do Atari 2600 ao invés de ser de um ano específico porque, se não o fosse, seriam posts sobre praticamente um jogo só cada um. Assim, iniciemos agora a ideia inicial dessa série de postagens: a de fazer um apanhado dos jogos que foram marcantes para mim por seus anos de lançamento — assim, fica divertido comparar quais jogos foram lançados no mesmo ano e ter uma ideia da evolução da indústria do videogame como um todo (ainda que uma ideia meio enviesada, mas foda-se, haha).

Vamos, então, ao primeiro jogo lançado em 1985 que faz parte da minha história — e que, já adianto, ainda se conserva, até hoje, no meu top 10 da vida:


Super Mario Bros., desenvolvido pela Nintendo

Falem sério: existe jogo mais clássico que esse? Super Mario Bros. foi o primeiro jogo que joguei no meu primeiro videogame próprio, lá pelo final dos anos 90, e isso significou muito pra mim. Antes, eu só tinha possibilidade de jogar quando ia na casa de um amigo, como mencionei no post anterior, ou quando ia na casa dos meus primos, em Porto Ferreira — ou seja, uma vez por ano —, ou quando passei a frequentar a casa daquele que se tornou meu melhor amigo (mas isso é assunto para outra ocasião).

Dessa forma, ganhar um Nintendinho (ou melhor, um genérico do genérico dele, chamado Game City) foi como... fazer parte de alguma coisa, de um grupo, de um mundo do qual eu até então era excluído. E uma sorte enorme que eu tive foi ter "começado" justamente com um jogo tão bom quanto o Super Mario Bros. — bom até hoje, posso dizer com tranquilidade. Nem muito fácil nem muito difícil... com fases nem curtas nem muito longas ou cansativas... com músicas cativantes (aspecto esse que, ao menos pra mim, era um ponto fraco daquela geração, com músicas chatíssimas e repetitivas)... com cenários simples porém carismáticos... com controle/jogabilidade perfeitos, onde o que você quer fazer o personagem responde com precisão... Não é à toa que esse jogo moldou o futuro dos games da forma como foi.

Super Mario Bros. é, para mim, o melhor jogo do Mario já feito.

O próximo jogo, no entanto, acho que não é tão icônico assim :P


Soccer, desenvolvido pela Intelligent Systems

Como podem ver pelo nome que não deixa dúvidas, Soccer é um jogo de futebol. Pode-se dizer que, embora não seja ruim, obviamente é limitado pra caramba, por conta do hardware do Nintendinho. Contudo, para a época, provavelmente foi o melhor que a Intelligent Systems — estúdio second party da Nintendo (ou seja, que faz jogos só para ela) — conseguiu fazer. Digo "para a época" porque futuramente vou falar sobre um jogo de basquete do Nintendinho mesmo mas muitíssimo mais complexo que esse de futebol aí — ou seja: dar pra fazer, dá. No entanto, Soccer não é ruim; eu me diverti muitas horas com esse joguinho, provavelmente alugado, porque eu não tinha o cartucho. Tem coisas que somem da memória, hehe.

Já o terceiro jogo (e último) de hoje é, pra mim, memorável pra cacete:


Battle City, desenvolvido pela Namco

Battle City é um jogo legalzíssimo onde você controla esse tanque de guerra amarelo aí da foto e tem que proteger esse símbolo de galinha preta cercado por muros dos tiros dos outros tanques. O problema é que os tiros destroem os muros marrons, e não os cinzas, supostamente de metal, e os outros tanques vêm que nem um... bem, que nem um tanque pra cima da galinha. Tem tanques inimigos de várias cores, uns mais fortes, outros mais rápidos, tornando interessante o combate, e a ideia é destruir todos antes que a maldita da galinha seja atingida — e isso é bem difícil nos estágios mais avançados. Tem também uns power ups pra deixar seu tanque mais resistente, como esse raios aí ao redor do amarelinho da imagem.

Desnecessário dizer que eu joguei inúmeras horas desse joguinho, que eu tinha só naqueles cartuchos de sei-lá-quantos-jogos-em-1 (por sinal, era onde eu tinha o Super Mario Bros. também). Esse, por sinal, é um jogo que também até hoje é divertido. Dava até pra criar os próprios cenários (se bem que eu não sei se isso era algo do jogo original ou uma versão "alternativa" do mesmo...), e eu passei também muito tempo criando os meus — numa época que eu tinha tempo e paciência de sobra.

Guardo com muito carinho a jogatina de Battle City — até minha mãe jogava esse :)

Vejam só o "adesivo" que eu desenhei para o meu cartucho genérico de vários-jogos-em-1, nos idos da tenra idade sem dores e sem sofrimentos:

Também tinha Dr. Mario e Duck Hunt nesse cartuchinho :)

Sim, eu era desses que customizava as coisas :P

(Aliás, por falar nisso, eu vou postar em breve um jogo inteiro de tabuleiro que eu fiz com minhas próprias mãos infantis, hehe.)

Bom; sobre os jogos de 1985 que me marcaram, é isso o que tenho a dizer, por ora. Para terminar, vou deixar para vocês um link de um site muito útil que dá cupons de desconto em inúmeras lojas de inúmeros tipos de produtos — inclusive livros e games —, chamado Cupom Válido. Para acessar, é só clicar aqui. Cupom de desconto é coisa linda dos deuses, haha, e, clicando no link, você apoia o blog e o Rahmati a continuar divagando na internet :)

Deleitem-se com essa bela arte do ilustrador João Victor G. Costa — bem que Super Mario Bros. podia ter uma versão assim, né? :P

Nenhum comentário:

Postar um comentário